Se chorar adiantasse alguma coisa, pica pau morria feliz. (Do que que eu tô falando!?!)

Terça-feira, 12 de Agosto de 2008
Poesia Incidental

Por Valéria e Marcel

 

 

Corremos nós dois, a vida inteira

para lugares diferentes um do outro.

Te vi andar por ai, e sorrir

não para mim.

 

Vi seus cabelos balançarem, e balancei.

Mas nunca, nunca de verdade

eu te olhei.

 

E hoje, sem querer, eu te encontrei

e vi que é diferente,

Você me parece um pouco estranha,

Me olhou e pode enxergar até as entranhas,

porque para você eu me despi,

e ali mesmo percebi,

que não tinha para onde ir.

 

Pois seu olhar me prende

Me mostra um lado da vida que jamais pensei que existisse

Me perco...

Tento fugir

mas o apelo do seu sorriso é  mais forte

 

É como um desejo que me deixa a própria sorte

Penetra em minha alma mordendo o pouco de razão que ainda me resta

A hora é certa.

 

Lhe falarei de minha alma!

Lhe mostrarei a minha alma!

Pois enxerguei a sua em teu sorriso.

E te dei aquilo que eu mais preciso:

Meu coração, inundado de tanto amor...

 

Amor que deseja crescer

Que almeja você

Que arrasa a tristeza num instante.

 

Será que consigo mostrar a alegria absurda que contagia meu ser desde então?

 

Onde esta a solidão?

Como pode dividir a história de minha vida assim?

Como se a vida inteira já fizesse parte de mim.

Não me jogo aos teus pés para você passar,

Mas sou capaz de mover o mundo para não te ver chorar.

 

Chore

E eu enxugo

Ria

E eu exulto

Ame

E eu simplesmente

O absoluto.



postado por Marcelzero às 13:20
link do post | comente | ver comentários (1) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
links
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28


posts recentes

Poesia Incidental

arquivos

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds