Se chorar adiantasse alguma coisa, pica pau morria feliz. (Do que que eu tô falando!?!)

Terça-feira, 28 de Outubro de 2008
Implicância

By Marcel (Infelizmente)

 

Nada contra você, por favor!

Não me leve a mal!

É que sou chato mesmo e às vezes tua voz me incomoda.

Sei que sou eu o problema, quase sempre

Mas tem como você entender e sair fora?

Nada contra você, por favor!

Não me leve a mal!

É que sou chato mesmo e às vezes teu olhar me incomoda.

De peixe morto, invejoso, espreitando,   

Me olhando como se eu fosse o pior dos seres humanos

Talvez eu seja, quase certeza

Mas tem como você mirar pra lá esses olhos insanos?

Nada contra você, por favor!

Não me leve a mal!

É que sou chato mesmo e às vezes teu cheiro me incomoda.

Mistura de suor com perfume barato

Pior que um amigo que eu tinha nos tempos de escola

Credo!

Quando alguém abre um pacote de cheetos em ambiente fechado

Cheiro de cigarro no cinzeiro, já apagado

Mistura de cravo, canela, flor de velório,

Pano de cozinha, cachorro molhado,

Fedor de mal hálito.

Credo!

Nem vou falar de seu mal hálito.

Mas nada contra você, por favor!

Não me leve a mal!

É que sou chato mesmo e às vezes teu falar me incomoda.

Dando palpite em tudo que eu faço

Como se fosse o senhor da verdade

Conversa sobre todos os assuntos com ar de superioridade

Fala que o Lula é analfabeto, que no Brasil nada dá certo

Que MPB é música boa, que Deus ajuda quem cedo madruga

Como se tudo isso fosse novidade.

Vomitando palavras recheadas de hipocrisia

Explicando que racismo é coisa ridícula

Até meu irmãozinho sabe disso,

E ele tem cinco anos de idade!

Nada contra você, por favor!

Não me leve a mal!

É que sou chato mesmo e às vezes teu andar me incomoda.

Olhando sempre pra frente, cabeça erguida

Passos largos e confiantes, o senhor das ruas e avenidas.

Isso é o que me falaram, pois olhando aqui de onde estou.

Hum, sei não.

Tu tens um jeitinho de bixa.

Só estou comentando, não é preconceito, por favor!

E nada contra você!

Por favor, não me leve a mal!

É que sou chato mesmo e às vezes tua respiração me incomoda.

Aquele ar podre saindo de suas narinas.

Entrando e saindo, respirando o mesmo ar que o meu.

Se eu tiver algum vírus contagioso, tenha certeza

Ele também é teu.

Do seu pulmão deve sair monóxido de carbono

Igual a fumaça que sai daquela merda de carro que a imbecil da tua esposa te deu.

Vamos fazer um trato, eu e você?

Você e eu?

Quem sabe a gente acaba com essa briga, essa coisa chata, esse monte de intriga.

Estou querendo me redimir agora, então proponho a você:

Eu fico aqui de boa no meu cantinho, fazendo o que eu sempre faço

Essa é minha parte do trato.

Deu pra entender?

A sua?

Ah, tá.

É o seguinte:

Você poderia fazer o favor de morrer?



postado por Marcelzero às 15:19
link do post | comente | ver comentários (1) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
links
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28


posts recentes

Implicância

arquivos

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds