Se chorar adiantasse alguma coisa, pica pau morria feliz. (Do que que eu tô falando!?!)
Sábado, 8 de Novembro de 2008
Deus salve o Brasil!

Não me atrevo a dar palpites sobre política, economia, rumos do governo, eleições, e tantos outros assuntos importantes, mesmo porque não tenho gabarito pra isso e muito menos articulação pra tanto.

 

Mas peço humildemente a Deus:

 

SALVE A SATIAGRAHA!!!

 

Desalento e desesperança é o que sinto com o julgamento do Habeas Corpus de Gilmar Mendes.

 

Suspiro...

 

Só de Sacanagem

Elisa Lucinda

 

Meu coração está aos pulos! 
Quantas vezes minha esperança será posta à prova? 
Por quantas provas terá ela que passar? 
Tudo isso que está aí no ar, malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu dinheiro, que reservo duramente para educar os meninos mais pobres que eu, para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais, esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais. 
Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova? Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais? 
É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz. 
Meu coração está no escuro, a luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e dos justos que os precederam: “Não roubarás”, “Devolva o lápis do coleguinha”, Esse apontador não é seu, minha filhinha”. 
Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar. 
Até habeas corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha ouvido falar e sobre a qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará. 
Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda vou ficar. 
Só de sacanagem! 
Dirão: “Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo o mundo rouba” e eu vou dizer: Não importa, será esse o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos, vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. 
Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau. 
Dirão: “É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal”. 
Eu direi: Não admito, minha esperança é imortal. 
Eu repito, ouviram? IMORTAL! 
Sei que não dá para mudar o começo mas, se a gente quiser, vai dar para mudar o final!



postado por Marcelzero às 19:08
link do post | comente | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
links
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28


posts recentes

Espera

Espelhinho

Menina

Pé com pé

Menino-Homem

Dia após dia

A Igreja e Os Beatles

Fosse

Deus salve o Brasil!

Pena

Banho de Parede

Implicância

Reflexão

Meu amigo que mora do out...

A canção do amor

arquivos

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds